Espetáculos

Comédia da Cintura para baixo.
 

“COMÉDIA da Cintura pra Baixo” é um espetáculo inspirado no Besteirol, movimento pós-ditadura militar que até hoje permanece em vigor. O espetáculo traz aos palcos situações cômicas, cotidianas e corriqueiras.

         Desprovido de preconceitos e pudores, o espetáculo se referencia na sociedade contemporânea para montar um mosaico do comportamento humano. A comunicação com o espectador é imediata e eficaz devido ao seu formato simples - esquetes cheias de referências da atualidade, sempre dominadas pelo riso crítico, tal qual o surgimento do gênero na década de 80 no Rio de Janeiro.

“COMÉDIA da Cintura pra Baixo” é composto por 6 textos curtos que traduzem a atualidade com suas modas e tolices. Para a montagem, foram convidados 4 diretores do teatro mineiro, cada um embutiu sua própria linha estética em uma cena, sendo duas delas dirigida pelos próprios atores, o que torna o espetáculo ainda mais surpreendente e inovador.

O espetáculo estreou em abril de 2011 e já percorreu diversas cidades do interior de Minas Gerais, fez temporada em Belo Horizonte e passou até pelo interior do Espírito Santo. Em 2012 foi o único espetáculo do interior a se apresentar na 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Minas Gerais em Belo Horizonte.

 

Dramaturgia - Carlos Renatto

Direção Geral – Katia Luvi e Carlos Renatto

Direção de Cenas: Ana Nery; Davi Procópio; Jaqueline Stampone e Marcela Amaral

Atuação – Katia Luvi; Carlos Renatto; Dalila Xavier e Renato Ribeiro

Música – Rodrigo Reis

Cenário - Walter Martins

Iluminação – Henrique de Castro

         

40 galinhas para Cecília

 

40 Galinhas para Cecília

O espetáculo 40 galinhas para Cecília  da Cia Teatral 2x2  foi criado a partir de histórias de pessoas de comunidades da cidade de Ouro Preto e que faz um importante trabalho de resgate da história oral, sendo diretamente ligado ao público de Ouro Preto. Ele foi montado com recursos do edital “Microprojetos da Bacia do Rio São Francisco” da FUNARTE.

Sinopse:

Joaquim precisa arranjar quarenta galinhas para o resguardo da sua esposa Cecília. Para concluir sua missão ele terá que enfrentar as mais diversas dificuldades, como uma sogra intrometida, a língua do povo e um santo atrapalhado, sem contar é claro, com os caprichos da mulher grávida. Revivendo vários causos que marcam a identidade cultural das comunidades do Morro São Sebastião e São Bartolomeu,  “40 galinhas para Cecília” é um espetáculo de rua que revive memórias e valoriza a história oral de Ouro Preto.

 

Texto e Direção: Carlos Renatto

Elenco: Dalila Xavier, Max Herbert, Katia Luvi, Renato Ribeiro

Trilha Sonora: Rodrigo Reis

Cenário e Figurino: Walter Martins

Maquiagem: Davi Ávebra

 

LAURA e a incrível história da porca que                    tinha ataques de vontade

“A palavra é o início de tudo. Ferramenta para a criação divina e artefato humano para o imaginário e a transformação da realidade. A plasticidade da palavra é assombrosa. Uma boa história, um ouvido atento, pedaço de papel e a apropriada utilização do tempo. Assim nasceu Laura, logo depois de ouvir um caso que meu concunhado Giovani, afirmou categoricamente ser verdadeiro.

Acrescentei ao fato - o desejo, e fiz de um causo, um conto.  Considerei a tendência humana a desejar como a razão para ações descabidas. Quando o leitor pondera a rendição humana entre o que se vê e aquilo que quer, torna natural e compreensível o exagero dessa história.

Deste ponto em diante, Laura passou ter vida própria. Logo após o lançamento do livro, essa história foi acolhida pelos olhos atentos do diretor de teatro Carlos Renatto, que a transformou em ação e saiu das páginas do livro para os palcos.

Hoje possui vários pontos de vista sobre a continuidade da vida de Laura. Talvez o mesmo número de vezes em que foi lida ou assistida. Várias Lauras e Tenórios de dentro da gente pretendem dar um novo rumo à história. Então quem seja um tanto Laura ou Tenório que fale dos seus próprios desejos. Além de mim, que continuo escrevendo, sobre essa curiosa história de amor.”

                                                                              Tânia Cristina Dias Mendanha

 

Sinopse: Laura... conta a história de Tenório um homem simples e trabalhador, mas que não tivera a sorte do casamento. Tentara algumas vezes, mas foi em vão. Conformado resolveu comprar uma porca, que seria seu bicho de carinho, cuidaria dela e então só mais tarde a mataria e venderia as partes. O que ele não sabia é que esta porca era por demais tinhosa e temperamental, queria ocupar na vida de seu dono o lugar que seria por direito de uma esposa. Mas diz que Tenório resolveu assim um desejo seu... Vinha caminhando devagar quando viu pela primeira vez, resolvendo-se entre as bananeiras, Laura, uma lavadeira sem o menor traço de personalidade ou vaidade. Assim nasceu em Tenório um desejo danado por ela, desde que a viu acocorada, fazendo suas necessidades. A partir deste dia Tenório se fixou no firme propósito de conseguir Laura, nem que para isso ele tenha que enfrentar o marido de Laura ou abrir mão da porca. Porque desejo é coisa que ocorre sem explicação. Nasce pronto.

 

Texto: Tânia Cristina Dias Mendanha

Dramaturgia e Direção: Carlos Renatto

Assistente de Direção: Danielle dos Anjos

Direção Musical: Max Hebert

Elenco: Dalila Xavier / Katia Luvi / Max Hebert / Renato Ribeiro

Cenário, Figurinos e Maquiagem: Walter Martin

Pra sempre eu sei que é nunca mais

 

Para Sempre eu Sei Que é Nunca Mais é um experimento video-cênico em que o espaço da ação teatral é, basicamente, o retângulo iluminado pela projeção videográfica. Adaptada do conto homônimo do escritor, dramaturgo e diretor itabiritense Carlos Renatto, a montagem apresenta a obsessão de uma mulher bem sucedida e independente - interpretada por Katia Luvi - por um rapaz bem mais novo. Utilizando o vídeo como uma pesquisa de duplos da intérprete, Para eu Sempre eu Sei que é Nunca Mais propõe um diálogo entre vídeo e cena em que um sempre complementa o outro, seja pela revelação, no vídeo, de algum detalhe ocultado pela própria natureza teatral, ou pela possibilidade de propor ações similares em linguagens distintas, resultado em ações distintas. A direção é de Julliano Mendes, ator, dramaturgo e videomaker ouro-pretano, fundador do Grupo Residência.

Até que o teto desabe

O espetáculo estreou no X Encontro Internacionoal de Teatro de Achupallas em Viña del Mar, no Chile em 2014. 

Sinopse

“Até que o Teto Desabe” apresenta dois personagens em uma situação-limite, que se veem trancados na antessala do cofre de um banco, encruzilhados pela chegada da polícia ou um eminente desabamento. Este encontro, de dois seres em total momento de desapego de suas máscaras (sociais e psicológicas), serve de pretexto para que o texto aponte por diversos temas como o fracasso das relações humanas, medo, morte, violência. Enquanto tecem as razões que os levaram à cometer este assalto, descobrem que o que mais importava não era o dinheiro, mas sim o que aquele encontro poderia desencadear no resto de suas vidas.

 

Dramaturgia e Direção: Carlos Renatto

Diretora Assistente: Katia Luvi

Atuação: Carlos Tobias e Renato Ribeiro

Figurino: Water Martins

Trilha Sonora Orignal: Darlan de Freitas

Iluminação: Henrique de Castro